Importante depoimento de Carlos Jereissati Filho ao InfoMoney. Os shoppings brasileiros são uma referência até para o mercado dos EUA. “Os americanos tinham um varejo tão forte que nunca se preocuparam em aplicar nos shoppings outros usos que não o varejo. No Brasil, metade já não é varejo há quase três décadas: tem lazer, alimentação, serviços. Então a gente tem várias variáveis que formataram nossos negócios diferentemente dos Estados Unidos”.

Veja mais no InfoMoney.

 

«   Voltar

Acreditem. O Japão está preocupado com o seu potencial de inovação. Eles querem criar um ambiente mais propício para startups. “A imagem que o Japão tem é de um país muito desenvolvido e de alta tecnologia. Mas quando a gente conta para essas empresas que o Japão precisa de software e que o ecossistema de startups ainda não é tão desenvolvido, as pessoas ficam surpresas”, disse Tatiana Nagamine, mestre em Economia pela Kyoto University e membro da Japan External Trade Organization (Jetro). Vale questionar como o Brasil trata o mesmo assunto.

Veja mais na Época Negócios.

 

«   Voltar

Em seu artigo no portal Mercado&Consumo, Marcos Gouvêa de Souza aborda (com propriedade) a palavra-chave do varejo atual: experiência. “A loja tradicional, mais ambiciosa em sua proposta, evolui para ser uma instalação que pode incorporar arte, decoração, alimentação, produtos, serviços, interação e, acima de tudo, experiências.”

Veja mais aqui.

 

«   Voltar

Ao se referir à situação brasileira, o Financial Times utiliza um título muito familiar: “Robin Hood às avessas”. Escrevi esse mesmo termo em um dos meus primeiros artigos há quase dois anos. É um diagnóstico que está ficando cada vez mais claro, até mesmo para estrangeiros. Os trabalhadores e empreendedores estão sustentando um sistema que não serve à população. Apenas a si mesmo.

Veja mais aqui.

 

«   Voltar

A Yellow Bike é o mais novo fenômeno entre as startups brasileiras. Com pouco mais de um mês de operações, a empresa de compartilhamento de bicicletas sem estação já recebeu um novo aporte de investimentos. Desta vez, foram US$ 63 milhões. O próximo passo será a construção de patinetes elétricos e a expansão das operações no México, Argentina, Chile e Colômbia.

Veja mais no Estadão.

 

Números importantes:

500 bikes em circulação

20 mil disponíveis até novembro

1.000 patinetes elétricos disponíveis até dezembro

Expansão na América Latina: México, Argentina, Chile e Colômbia

«   Voltar

Esta reportagem da Época Negócios relata a experiência de comprar em uma Amazon Go, a loja sem caixa. Será uma tendência do varejo? Será que este será o “Uber” que irá revolucionar o modelo de loja física no mundo? Não temos respostas precisas ainda. Porém, temos de prestar atenção em tudo o que Amazon e Jeff Bezos fazem. Eles não brincam em serviço.

Veja mais aqui.

«   Voltar

Em artigo no site Mercado&Consumo, Alexandre Machado aborda aspectos importantes da Latam Retail Show. “O fato é que vivemos um momento de transformação nas empresas, de transformação ágil e, principalmente, de convergência. Em vez de uma organização concebida como máquina, uma organização ágil, como um organismo vivo. Sem espaço para o modelo tradicional fundamentado na hierarquia top down, controles e burocracia.”

Veja mais aqui.

«   Voltar